Wednesday, August 31, 2011

Persistência

Meu maior defeito, nos tranquilos dias da infância, consistia em desanimar com demasiada facilidade quando uma tarefa qualquer me parecia difícil.
Eu podia ser tudo, menos um menino persistente.
Foi quando, numa noite, meu pai entregou-me uma tabuazinha de pequena espessura e um canivete, e me pediu que, com este, riscasse uma linha em toda a largura da tábua.
Obedeci a suas instruções, e em seguida, tábua e canivete foram trancados na escrivaninha de papai.
A mesma coisa foi se repetindo nas noites seguintes; ao fim de uma semana eu não aguentava mais de curiosidade.
A história continuava. Toda noite eu tinha que riscar com o canivete, uma vez, pelo sulco que se aprofundava.
Chegou afinal um dia em que não havia mais sulco. Meu último e leve esforço cortou a tábua em duas.
Papai olhou longamente para mim, e depois disse:
- Você nunca acreditaria que isto fosse possível, com tão pouco esforço, não é verdade?
Pois o êxito ou fracasso de sua vida não depende tanto de quanta força você põe numa tentativa, mas da persistência no que faz.
Foi essa uma lição de coisas impossíveis de esquecer, e que mesmo um garoto de dez anos podia aproveitar.

Tuesday, August 16, 2011

Agradecimento aos que amo

Lila e Bernardo,

Ao longo destes quatro anos... Muita coisa aconteceu... Em especial, foi o nascimento do nosso filho Bernardo... Sou muito grato por ter vocês em minha vida e por me apoiarem durante todo este tempo. A cada semestre que se passava, era mais uma etapa vencida. Tivemos muito pouco tempo juntos devido ao trabalho e os estudos, por isto agradeço pela paciência, pelo carinho, pela preocupação e pelo incentivo dado para a realização deste curso. Suas orações foram fundamentais para o meu sucesso educacional. Obrigado por tornarem nossa vida mais feliz! Desejo a você, Bernardo, que semprebusque adquirir conhecimento seja de grande valia para sua vida. Que possa ajudar muitas pessoas através do seu conhecimento, sabedoria e inspiração! Amo Vocês! "Nenhum sucesso na vida compensa o fracasso no lar."

Convite Formatura



Missa
15 de Setembro de 2011, às 19:30
Paróquia São Geraldo
Rua Ricart Normand, 261 - São Geraldo
Sete Lagoas - MG

Colação de Grau
16 de Setembro de 2011, às 20:30h
Clube Náutico de Sete Lagoas
Rua Santa Luzia, 817 - Bom Jardim
Sete Lagoas - MG

Educação Financeira - Mitos e Verdades

Educação financeira é um conjunto amplo de orientações e esclarecimentos sobre posturas e atitudes adequadas no planejamento e uso dos recursos financeiros pessoais.
Só que quando o assunto é finanças, são muitas as dúvidas. Afinal, ela está ligada a dinheiro, tão presente em nosso dia a dia.
Veja alguns mitos e verdades relacionados ao tema.

1) Educação Financeira ajuda a evitar e combater dívidas – VERDADE
Com educação financeira as pessoas percebem o quanto as dívidas e excessos de consumo podem ser prejudiciais ao orçamento e às finanças da família. Fica mais difícil alguém preparado perder o controle das próprias finanças.

2) Educação Financeira ajuda a evitar certas armadilhas, fraudes e prejuízos – VERDADE
Com posturas adequadas, aprende-se a analisar alternativas de investimento, conhecer direitos, adquirir noções sobre o sistema financeiro, consultar sites e órgãos de apoio ao cidadão, relacionar riscos e oportunidades, conter impulsos, analisar racionalmente e adotar outras atitudes que resultam em mais preparo para avaliar situações de risco em investimentos, empréstimos e outras transações financeiras.

3) Educação financeira é apenas para quem tem dinheiro – MITO
A educação financeira lida com conceitos, posturas e atitudes adequadas na gestão das finanças, independente de valores, da situação socioeconômica e da disponibilidade financeira das pessoas.

4) Educação financeira ajuda a melhorar a produtividade nas empresas – VERDADE
É crescente o número de empresas, associações e entidades de classe que reconhecem a importância da educação financeira na estabilidade financeira e emocional das famílias. Reduzindo-se os problemas financeiros cai o índice de absenteísmo, de fraudes, de doenças. As pessoas trabalham mais tranquilas, ficam mais criativas e mais produtivas.

5) É preciso ser especialista para "fazer" Educação Financeira – MITO
Cada um pode dar a sua parcela de contribuição, mesmo que de maneira empírica. Melhor receber qualquer tipo de educação financeira do que nenhum, principalmente no ambiente familiar. O bom-senso responde as principais dúvidas. Se o público for mais amplo, vale à pena buscar apoio profissional.

6) Educação financeira é para a vida toda – VERDADE
Toda forma de educação gera resultados e consequências para a vida toda. Claro, alguns conceitos podem mudar, mas os princípios e os benefícios são duradouros.

7) A base da Educação Financeira é a Matemática – MITO
Os aspectos comportamentais são até mais relevantes. Claro que fazer contas faz parte, mas ter atitudes e posturas adequadas faz mais diferença do que saber calcular taxas e resultados.

8) Educação Financeira é coisa nova, da sociedade moderna – MITO
Algumas das mais famosas fábulas de Ésopo (Século VI a.C.), adaptadas por La Fontaine (idade média) tratam desse tema: "A cigarra e a formiga" e "A galinha dos ovos de ouro", por exemplo. A Bíblia e o Alcorão também tratam de questões financeiras, de prosperidade, riquezas, ética e solidariedade, há milhares de anos.

9) Educação Financeira é tema de cidadania – VERDADE
Todo cidadão precisa conhecer e aproveitar seus direitos, inclusive os que fazem seu dinheiro render mais e lhe proporcionar mais conforto e segurança. Deve ter acesso aos serviços bancários. Deve poder sonhar com um futuro melhor para si e seus familiares.

10) Educação Financeira é assunto apenas para especialistas – MITO
Autores infantis consagrados como Maurício de Souza, Ruth Rocha e Ziraldo já publicaram obras falando de educação financeira. Obviamente há também publicações de autores que, como eu, se dedicam especialmente ao tema.

11) Os bancos querem manter seus clientes na ignorância financeira para poder explorá-los – MITO
Aos bancos, como a qualquer prestador de serviços ou fornecedor de produtos, interessa mais as parcerias de longo prazo. Cliente bem informado demanda menos atendimento e pode consumir mais produtos, com menos problemas e reclamações. Os custos dos bancos se reduzem e as margens de ganho podem crescer ainda mais.

12) Os bancos são obrigados a oferecer educação financeira a seus clientes – VERDADE.
Mesmo que não exista uma imposição legal específica os bancos são eticamente responsáveis por orientar seus clientes sobre as melhores formas de uso e consumo dos serviços e produtos bancários. Nos sites dos principais bancos, no do Banco Central e no da FEBRABAN os clientes e cidadãos podem encontrar muitas informações úteis para o seu dia a dia financeiro.

Álvaro Modernell - especialista em educação financeira, palestrante e autor de vários livros, projetos, cartilhas e artigos sobre educação financeira. Com experiência de mais de 20 anos no Banco do Brasil.